AÇÚCAR É ÁLCOOL EM CRIANÇAS: DANIFICA O FÍGADO E O CÉREBRO

AÇÚCAR É ÁLCOOL EM CRIANÇAS: DANIFICA O FÍGADO E O CÉREBRO. Você daria um copo de bebida alcoólica para seu filho pequeno? A resposta, certamente, será não. Nenhum pai ou mãe daria álcool para uma criança.

Principalmente por que esse item é tóxico, causa danos graves ao organismo e vicia.

No entanto, se você tem o hábito de dar doces, e encher as refeições do seu filho de açúcar, pode ser que você esteja fazendo mal para à criança, sem perceber.

AÇÚCAR É ÁLCOOL EM CRIANÇAS: DANIFICA O FÍGADO E O CÉREBRO

Um estudo no Reino Unido, a Pesquisa Nacional de Dieta e Nutrição, demonstrou que o açúcar consumido pelos pequenos pode fazer tão mal ao fígado e ao cérebro quanto o álcool. Nesse caso, o fígado metaboliza a frutose, uma das moléculas do açúcarda mesma forma que o álcool, sobrecarregando o órgão que tem, entre outras funções, o trabalho de eliminar as toxinas do organismo.

Não à toa, é cada vez mais comum que crianças sofram com problemas “de adulto”, como diabetes e doenças hepáticas. Um estudo feito na Itália avaliou 271 participantes, com idade média de 12,5 anos, e que tinham dietas açucaradas. A pesquisa descobriu que 37,6% deles tinham Esteatohepatite não-alcoólica (NASH), doença que pode causar danos irreversíveis, levando a fibrose e cirrose.

Entre os principais vilões do excesso de açúcar estão os alimentos industrializados. É comum que a indústria encha os produtos com açúcar, principalmente nos itens destinados ao público infantil.

Além disso, é fácil mascarar o açúcar nos rótulos, pois existem pelo menos 56 nomes diferentes para essa substância.

Consultar os rótulos dos alimentos antes de comprá-los é um hábito que poucas pessoas têm, mas que é essencial para a saúde. Só assim é possível saber se o produto é feito com bons ingredientes ou vem recheado de aditivos químicos. A tabela nutricional revela a composição e mostra quais são os elementos saudáveis ou prejudiciais ao nosso corpo. Mas não adianta procurar somente por nomes familiares.

AÇÚCAR É ÁLCOOL EM CRIANÇAS: DANIFICA O FÍGADO E O CÉREBRO

Você sabia, por exemplo, que um alimento que parece não conter açúcar pode trazer esse ingrediente de forma disfarçada? Isso mesmo! Há várias denominações para o açúcar escondido em produtos industrializados.

Conheça alguns NOMES para o nosso famoso AÇÚCAR:

Sacarose, Frutose, Lactose, Glicose, Glucose, Dextrose, Maltodextrina, Açúcar mascavo, Açúcar demerara, Açúcar orgânico, Açúcar invertido, Açúcar magro, Açúcar moreno, Açúcar light, Açúcar de confeiteiro, Mel, Agave, Xarope de milho…

Produtos como iogurte, cereais e bolachas podem conter uma quantidade tão grande de açúcar que extrapolam as necessidades diárias da criança apenas em uma refeição.

A frutose, mencionada nos estudos, também existe nas frutas, mas não é nociva, pois vem acompanhada de vitaminas e minerais essenciais ao organismo e são metabolizadas de modo diferente.

A educação é fundamental para que eles entendam as implicações de curto e longo prazo de consumir muito alimento discricionário no lugar das coisas reais, e como identificar os açúcares adicionados em alimentos aparentemente saudáveis.

Então, ame seu fígado e vá com calma com as coisas doces.

Nossas Redes Sociais:

Esse artigo NÃO substitui a consulta médica tenha sempre seus controles médicos em dia para uma vida plena, busque sempre um profissional da saúde para lhe acompanhar. 

References:

  1. Better Health Channel 2012, Liver- fatty liver disease, viewed 15 February 2017, <https://www.betterhealth.vic.gov.au/health/conditionsandtreatments/liver-fatty-liver-disease>.
  2. Cleveland Clinic 2013, Nonalcoholic fatty liver disease, viewed 15 February 2017, <http://www.clevelandclinicmeded.com/medicalpubs/diseasemanagement/hepatology/nonalcoholic-fatty-liver-disease/>.
  3. Dyson, JK, Anstee, QM, & McPherson, S 2014, ‘Non-alcoholic fatty liver disease: a practical approach to diagnosis and staging’, Frontline Gastroenterology, vol. 5, no. 3, pp. 211-218.
  4. Bellentani, S, Scaglioni, F, Marino, M, & Bedogni, G 2010, ‘Epidemiology of non-alcoholic fatty liver disease’, Digestive Diseases (Basel, Switzerland), vol. 28, no. 1, pp. 155-161.
  5. Mosca, A et al. 2017, ‘Serum uric acid concentrations and fructose consumption are independently associated with NASH in children and adolescents’, Journal of Hepatology, [ePub ahead of print].
  6. Lustig, RH 2010, ‘Fructose: Metabolic, Hedonic, and Societal Parallels with Ethanol’, Journal of the American Dietetic Association, no. 9, p. 1307.

Fonte do Texto e Imagem: greenme

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×